Golpe após passageiros não conseguirem embarcar no Aeroporto

Cerca de 25 indivíduos denunciam ter sido vítimas de sorvedura de uma agência de turismo depois de pagarem pacote de viagem para o Rio de Janeiro e não conseguirem enrodilhar no dia combinado, na noite desta quarta-feira (27). Os passageiros foram informados no Aeródromo de Fortaleza que as passagens não foram emitidas. O dificuldade teria sido a falta de pagamento da JPE Turismo, empresa contratada pelo pacote.

A JPE Turismo informou ao G1 que teve complicações com a irradiação de 20 passagens aéreas, porém os clientes afetados estão sendo assistidos. Cinco deles já viajaram ao Rio de Janeiro, enquanto os mais estão em negociação para alteração da data do adejo ou recuperação dos princípios pagos. A agência disse apesar de que os departamentos jurídicos, financeiros e de reservas estão trabalhando para solucionar as pendências. Por fim, declarou que a empresa continua ativa e realizando geralmente as viagens programadas.

O valor dos contratos pagos à agência varia entre R$ 2 mil e R$ 2.300, de acordo com os passageiros. Ao receberem a informação no aeródromo de que não poderiam divagar, eles tentaram contato com a empresa, porém os telefones disponibilizados estavam desligados.

Acordo com os passageiros

A empresária Maria de Oliva Lima diz que passou um ano pagando o pacote. “Eles receberam todo o nosso dinheiro. Até janeiro aparecia com todo mundo reparado ”. Insucesso também maior para a cabeleireira Raiara Santos, que viajaria para fora do estado pela primeira vez. ” A gente tinha um sonho em divagar, saber a município, seria nossa primeira viagem fora “, lamentou.

Já o fisioterapeuta Marcílio Araújo afirma ser vítima da agência pela terceira vez. “Na primeira vez fomos pra Argentina, tivemos dificuldade no hotel. Na segunda vez fomos para Campo, não passamos os dias que eram pra ser. Eram pra ser cinco dias, passamos apenas 3. Ao voltar pra Fortaleza fomos até a empresa pra analisar o que ia ser realizado, e eles ofereceram essa viagem benefício Rio de Janeiro”.

passagem aérea

Já reparou como os políticos vivem viajando? De acordo com o Instituto Comercial Aqui, um deputado federal ou um senador voam em média duas vezes por semana. Ocorre que estes voos, que são feitos a trabalho, são pagos com dinheiro público. Ou seja, nada mais justo que devolver as milhas aéreas ao burgo, não é mesmo?

A campanha Milhas do Burgo aventa exatamente isto. A ideia é que as milhas acumuladas em voos realizados por políticos sejam revertidas para pessoas carentes financeiramente que necessitam conseguir passagens aéreas. A asserção lembra muito o projeto Miles 4 Migrants, em que indivíduos comuns doam milhas para que imigrantes possam se inserir com suas famílias.

Inegavelmente, as viagens beneficiadas pela iniciativa não são focadas em turismo. Elas precisam ter distintivo cultural, cultural, esportivo ou de saúde. Os interessados em requisitar as milhas dos políticos para esses fins precisam se associar por meio do site do projeto até o dia 15 de junho, contando o razão da viagem.

Estudo de preços

A estudo de preços será feita pelos órgãos e entidades do Executivo Federal, com a escolha do entrada de menor valor e aplicação automática dos percentuais de redução estabelecidos pelas companhias aéreas.

“ Além do recebido na compra em si, possuimos uma economia operacional, uma vez que o Ministério da Economia disponibiliza a palco tecnológica (SCDP). Com isto, simplificamos a prática de atividades administrativas dos vários órgãos da meneio pública”, esclareceu Heckert.

No Submergido, por exemplo, há opções para Fortaleza, a começar por R$ 334, e para João Indivíduo, a partir de R$ 385. Há similarmente a escolha do pacote: no mesmo site, é possível adquirir uma viagem de 3 dias para Foz do Iguaçu, no Sul do país, com direito a cômodo, por R$ 434.

E com o dólar em curso de queda, taxado a R$ 3,71 nesta terça-feira, dia 23, já possui quem se anime a divagar para o exterior. Agências de turismo do Rio já registram crescimento na consumo por pacotes para fora do país.

Na Martha Viagens, por exemplo, a consumo por pacotes para Orlando, nos Estados Unidos, e países como Portugal e Françaaumentou cerca de 20%. Já na Riobras Tour, a grande consumo é pelas cidades americanas de Las Vegas e Orlando.

“O dólar está menor e, com isto, quem não pensava em sair do país já está tentando realizar a viagem “, disse Carlos Pontes, diretor de Vendas da Riobras Tour.

Viagens mais baratasViajar de avião ficou mais moda entre abril e junho deste ano, de acordo com um verificação realizado pela Anac ( Agência Nacional de Vôo Civil ). O valor médio das tarifas registrou uma diminuição de 3,9%, ficando em R$ 334,84.

Nesse mesmo tempo, a pleito por passagens subiu 5,1%, na semelhança com o mesmo trimestre do ano passado. A oferenda similarmente registrou alta de 6,3%. Cerca de 8% das passagens foram vendidas por pouco de R$ 100, e 55,7% foram comercializadas por pouco de R$ 300.

A maior queda de preços foi registrada no Ferino (11,3%), de acordo com a Kayak, ferramenta de planejamento de viagens do mundo.